Lugares mágicos na Suíça


De todos os países da Europa, a Suíça se destaca como um dos mais charmosos. Tanto nas regiões urbanas quanto nas áreas rurais, os destinos suíços exercem um fascínio contagiante sobre os visitantes, que voltam de lá apaixonados por cada bela paisagem encontrada ao longo do caminho. Quer conhecer parte destes cenários encantadores?
 
O site Skyscanner fez uma seleção de nove cidades suíças que vão te conquistar num passe de mágica. Dá uma olhada.
 
Berna: Com ruas que parecem transportar os viajantes ao passado, Berna é dona de um belo centro histórico, tombado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Graças aos seus mais de 6 km de arcadas (chamadas de Lauben pelos locais), a capital da Suíça abriga ainda um dos maiores calçadões de compras cobertos de toda a Europa. Dentre os inúmeros lugares que merecem ser visitados, vale a pena destacar: a Casa Albert Einstein, o Museu de Arte, o Museu Alpino da Suíça, o Jardim das Rosas, a Catedral (e sua torre com mais de 100 metros de altura) e as Casas do Parlamento.
 
Basileia: Os apaixonados por arte, cultura e antiguidades vão se sentir em casa assim que chegarem em Basileia. A cidade tem mais de 40 museus e, com isso, é um dos maiores destinos culturais da Suíça. No centro histórico, construções erguidas durante a Idade Média garantem excursões mágicas a cada um dos transeuntes, que podem também fazer pausas estratégicas para saborear um delicioso café e admirar a beleza refletida nas águas do rio Reno.
 
Genebra: Por ser sede da ONU e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Genebra é conhecida no mundo todo como a Capital da Paz. Além disso, também é classificada como a “menor metrópole do mundo”, título que evidencia sua atmosfera cosmopolita e acolhedora. Seu principal cartão postal é o Jet d’eau, uma fonte situada na periferia do lago de Genebra e que tem um jato d’água que mede 140 metros de altura.
 
Zurique: Moderna e vibrante, Zurique é uma cidade democrática. Para os que buscam roteiros culturais, o destino abriga mais de 50 museus e mais de 100 galerias de arte; para os viciados em moda, os bairros Zurich West ou Aussersihl servem como endereço para grifes e estilistas, enquanto a Avenida Bahnhofstrasse é conhecida como a Meca das compras da Suíça; para os que querem se divertir a noite inteira, clubes e boates abrem suas portas a partir das 23h e promovem festas que não têm hora para acabar, não importa a época do ano. Estas e outras possibilidades só mostram que Zurique é um destino múltiplo, capaz de agradar de forma única a cada um de seus visitantes.
 
Lucerna: Lucerna é considerada a principal porta de entrada para a região central da Suíça. Cercada por montanhas e cortada pelo Lago Lucerna, é uma cidade charmosa, conhecida ainda por abrigar uma das mais antigas pontes de madeira cobertas da Europa, a famosa Ponte da Capela. Ao caminhar por suas ruas, o visitante viaja pelo tempo enquanto admira a beleza das construções históricas, além de seguir um roteiro de compras mais que especial ao passar pelas lojas de relógios e de souvenires, espalhadas aos montes pela cidade.
 
Montreux: Para os viajantes que já conhecem Toscana, na Itália, um aviso: é muito fácil confundir as duas regiões, graças às vinícolas que tomam conta tanto da localidade italiana quanto da cidade suíça. Em Montreux, porém, há um toque ainda mais especial: o lago de Genebra, que reflete o pico das montanhas cobertas por neve. Para guardar na memória a essência deste encantador destino, a dica é passear de trem, percorrer seus campos e se deixar levar pelo aroma que sai de seus restaurantes.
 
Biel: O contraste entre o passado e a modernidade faz de Biel uma das cidades mais emblemáticas da Suíça. Se de um lado, todo o charme de suas construções históricas foi preservado, do outro, o presente ganhou vida com os arranha-céus que tomam conta da paisagem. A parte antiga se concentra nos arredores da igreja católica, no alto de uma colina, enquanto a parte moderna está localizada às margens do rio. Percorrer essas duas regiões é o mesmo que transitar pelo tempo.
 
Friburgo: Uma das maiores cidades medievais da Suíça, Friburgo arranca suspiro dos apaixonados por história. Suas ruas mais antigas exibem cerca de 200 fachadas góticas, que acompanham os visitantes em uma caminhada incansável, já que a cada esquina, uma nova descoberta pode ser feita. E por ser uma cidade universitária, tem um clima bastante convidativo, envolvendo os viajantes em dias e noites marcados pela animação.
 
Zermatt: Esta cidadela que se estende abaixo do pico Matterhorn faz parte da rota de quem viaja até a Suíça com o objetivo de esquiar. Ali, os carros são proibidos para que toda a tranquilidade local seja mantida. Os viajantes que chegam à região encontram 63 de estações montesas e mais de 360 km de pista. Depois de se aventurarem explorando os arredores de Zermatt, esquiadores e montanhistas são acolhidos pela cidade com boas doses de chocolate quente e de uísque –para espantar o frio.
 
Fonte: Catraca Livre
 

Voltar